Errar é Humano , Perdoar é Divino

03abril20130315aImagine um jovem cheio de energia de viver e de sonhos quanto ao futuro ver repetinamente seu futuro ser improvisado em consequência de ato irresponsável de outro ser humano ,imaturo e inconsequente. As emoções de ódio, rebeldia e desejo de vingança seriam uma resposta natural … mas nem todas as pessoas pertencem ao mundo natural , de natureza animal.

Muitos estão em marcha para uma natureza mais refinada , de qualidade nobre e superior. O perdão é o primeiro sentimento que assemelha o homem de Deus , que é amor. Dai para frente é levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima, pois a vida continua. A raiva e vingança são malas sem alças que devemos aprender a deixar para o passado e para a justiça divina…

Devemos nos preparar mais para vôos mais altos. Jesus afirma que quem quiser ser seu discípulo deverá renunciar ao “si mesmo” (ego) , carregar sua cruz ( de deveres e obrigações) e enfim segui-lo (imitá-lo psicologicamente e em ações). Somos todos convidados…

Mas qual a origem da raiva que dificulta nosso perdão?

Quase sempre é o amor desmedido ,iludido e mal dimensionado por nós mesmos .Este egoísmo ou filáucia , faz parecer que somos as criaturas mais importantes do Universo e que não podemos sofrer qualquer mácula ou arranhão em nossa imagem.

Esta desordem psico-espiritual dificulta vera a verdade como verdade , isto é, que estamos num mundo onde habitam seres humanos complexos de variados tons de cinza espiritual e com poucos tons de branco (santos) ou negro (psicopatas) .

Nós mesmo , temos um humor que respeita uma ciclotimia estafante:num período do dia estamos motivados, noutro arrasados. Num momento do dia queremos fazer todo o bem possível , noutro deixamos de evitar o mal impulsivo.

Não conseguimos ver o agressor como alguém sem condições normais de razão e sensibilidade e que deveríamos ajudar da melhor forma possível , seja a figura de um colega de trabalho , vizinho , parente ou desconhecido.

Não conseguimos , também , nos libertar do lodo que nos prende ao charco das experiências. Como pássaro de asas paralíticas não conseguimos alçar vôo às alturas porque a Vaidade, Orgulho e Egoismo não permitem. E ainda que Jesus nos dissesse “ VOE!” , não voaríamos porque estamos mentalmente presos a outro VOE (Vaidade, Orgulho , Egoísmo). A escolha de soltar o fardo pesado e alçar o infinito é exclusivamente nossa.

Para isso nascemos, para aprendermos a nos libertar daquilo que nos aprisiona…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s