A PAZ DO MUNDO COMEÇA EM MIM…

“Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.”(Mt 5:3-10)

Com profunda alegria que hoje me voltou à mente a imagem de dois jovens chineses, que entrariam para a história universal  no dia 5 de junho de 1989. O primeiro ninguém mais sabe , niguém mais viu , mas o seu gesto de  se por à frente de uma fileira de tanques blindados todos podemos ver, comentar, homenagear e citar como símbolo de resistência à opressão e violência do Estado.

Nos comovemos  diante da já imortalizada foto “O Rebelde Desconhecido de Tiananmen” de Jeff Widener  .E chegamos a pensar que o mundo seria outro se todos pudessem dar as mãos  e cantar uma só canção , talvez “Imagine” de John Lennon, porque não?

Mas que fazemos nós de concreto em nossas casa, em nossos trabalhos, nas comunidades, em nosso lazer? Qual é a nossa real contribuição para a paz  celestial( não falo da  praça chinesa)?

A paz não nasce de fora para dentro nem é trazida em bandeja de prata por messias  ou profetas improvisados. A paz nasce do íntimo de cada um de nós ao renunciarmos ao nosso ego , ao nosso narcisismo doentio  e apego à silhueta transitória que chamamos de “eu”.

A a paz nasce  quando a necessidade de verdadeiramente ser feliz  brota da dor e da angústia de ver a justiça  ao redor de todos, irmãos ajudando irmãos. Quando priorizamos o ser   acima do ter e o servir acima do ser servido ; o consolar acima do ser consolado em nossas pieguices e melindres; quando desejarmos deixar de ser meninos e nos transformarmos em homens ;quando desejarmos deixar de ser forasteiros e assumirmos a filiação divina e deixarmos de nos fazer de vítimas das circunstâncias.

Toda lagarta pode aprender a deixar de se arrastar  se tornar bela borboleta alada  a manifestar a glória divina que traz consigo…

O Prêmio Nobel , oferecido ao professor e ativista chinês Liu Xiaobo , na verdade é uma homenagem a todos que de boa vontade anunciam e denunciam o erro e clamam por transformações  e não por remendos de panos novos em panos velhos…o mundo precisa de panos novos.

O prêmio é uma homenagem  especialmente a dois jovens chineses : aquele que é o desconhecido guerreiro desarmado que teve a coragem de enfrentar  a fileira de tanques … e aquel’outro jovem , igualmente desconhecido , que não abusou do poder , quando poderia , e nem o esmagou seguindo ordens e determinações superiores, o que intimidadria todo o movimento de insurreição de então.

O paradeiro dos dois é desconhecido, mas  que o Nobel, também lhes pertence, isso sim.

E nós, quando seremos indicados  a um prêmio de boa conduta?Ou de bom comportamento? Que revolução nos falta para acordar o gigante que dormita em nós?

E nós, para onde vamos?

fonte:  http://bit.ly/cTnSQh

Ouça o comentário desta notícia  por André @Zech http://bit.ly/akL5PY

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s